Certamente você já fez esta reclamação em algum momento. Esse problema pode ocorrer em função da falta de “coesão” da mistura. Há alguns fatores que precisam ser levados em consideração para resolver esta situação.

Uma primeira dica é verificar se o teor de finos está adequado. Se você estiver utilizando uma areia muito grossa ou lavada em excesso a mistura perderá coesão.

Se a quantidade de cimento também for baixa isto poderá acarretar a diminuição do volume de pasta e vai faltar, certamente, “liga” à mistura. Teores baixos de cimento são típicos de blocos da classe “C” cujos traços podem variar de 1:10 até 1:16 dependendo do tipo de máquina. Neste caso é importante lembrar que logo após a mistura do cimento com a água e os demais materiais ele ainda não reagiu quimicamente e, portanto, funciona principalmente como um material fino, dando coesão à mistura.

Por outro lado, o excesso de finos também causa problemas. Se a areia for muito fina ou os agregados estiverem trazendo muito pó, além do aumento do consumo de cimento e de água, será formada muita pasta e a mistura ficará muito viscosa e poderá aderir muito firmemente ao molde, no caso dos blocos, ou aos “patins” no caso dos pavers. Em ambos os casos, no momento da desforma, a peça irá desmanchar.

Outro elemento que precisa ser inspecionado é a proporção entre os agregados, ou seja, a distribuição granulométrica. A combinação precisa ser equilibrada para que haja um “intertravamento” ou “embricamento” entre os grãos, o que faz com que a mistura fique firme e resista à movimentação.

Não é possível tratar desse problema sem falar do efeito da água na mistura. Cada máquina possui o que se chama de “umidade ótima” para produzir a sua melhor compactação, fruto de uma combinação específica entre vibração e prensagem. Contudo, trabalhar exatamente com o teor de umidade ótimo, reduz um pouco a produtividade da máquina, pois atrapalha a distribuição da massa no molde.

Água em excesso associada a um elevado teor de finos produz muita pasta, o que dificulta a moldagem e a extrusão da peça. Pouca água melhora a distribuição da mistura no molde mas dificulta a prensagem levando a uma queda de resistência e a um aumento do desgaste da forma. Então, a solução é trabalhar um pouco abaixo da umidade ideal e utilizar aditivo para facilitar a moldagem sem perder a resistência. O uso de aditivo é uma solução importante, falaremos sobre isso em outro artigo.

Espero que estas dicas tenham ajudado a entender um pouco este problema. Até o próximo.


Esse artigo é uma contribuição do Professor  Julio C. Filla para o blog da WM Máquinas. Instagram: @julio_filla | Linkedin | Whatsapp: (43) 99966-1966