No artigo anterior nós vimos uma maneira bem prática para determinar o custo dos materiais para produzir 1 bloco.

Neste artigo vamos enfrentar um desafio maior: descrever que outros elementos devem ser levados em consideração para fechar o custo de produção de 1 bloco, se quisermos ter o custo real, sem nos enganarmos e realmente ter lucro.

Certamente você já deve ter ouvido os termos “custo fixo” e “custo variável”. Pois bem, para saber quanto custa para produzir um bloco é necessário determinar estes valores.

De uma maneira bem simples: o custo fixo se refere a todos aqueles gastos que ocorrem esteja sua empresa produzindo ou não.

Exemplos de custo fixo:

  • o aluguel do seu galpão ou terreno,

  • a folha de pagamento e os encargos sociais,

  • internet,

  • a parcela de um financiamento,

  • material de escritório,

  • o café da manhã para os colaboradores,

  • segurança da empresa,

  • honorários do escritório de contabilidade, etc.

Os custos variáveis, como o próprio nome diz, são proporcionais ao nível de atividade da sua indústria.

Nesta categoria entram despesas como:

  • Energia elétrica,

  • Manutenção de equipamentos,

  • fretes para entrega,

  • investimentos em propaganda,

  • combustível para a empilhadeira,

  • impostos,

  • gastos com medicina do trabalho, etc.

Particularmente no que se refere aos impostos, seu contador é a pessoa ideal para te informar qual é a “alíquota” a ser considerada, em função do “regime tributário” da sua empresa.

As palavras chaves para encontrar com precisão estes gastos são “DISCIPLINA” e “CONTROLE”.

Você precisa ter disciplina para registrar mensalmente todos os seus gastos, sejam eles formais ou não.

Se você não anotar de alguma maneira estes valores (em uma planilha, em um caderno, etc) não tem como fazer direto esta conta.

Mas ai vem a pergunta:

– Tudo bem, eu sei o quanto eu gasto, mas como eu coloco isto no preço do bloco?

É simples, comece respondendo a seguinte questão:

– Quantos blocos sua fábrica produz por mês?

Veja, eu não perguntei quantos blocos sua máquina produz; mas sim, o quanto a sua fábrica, com o seu equipamento, sua logística interna, com a equipe de trabalho que você tem, descontando as perdas, é capaz de produzir em um mês. Percebeu a diferença?

O seu equipamento pode ter a capacidade para moldar 2000 blocos por dia, mas se você não conseguir alimentar a máquina na quantidade e na frequência necessária e não tiver um sistema eficiente para tirar os blocos e movimentá-los, não vai dar para fazer tudo isso.

Além disso, existem as perdas no processo: blocos que desmancham ao sair da máquina ou quebram depois de prontos, enfim, a sua produção pode sofrer uma “quebra” por várias razões. Esperamos que não.

Vamos imaginar que, depois de todas estas considerações você chega à conclusão, pelas suas anotações diárias da produção, que saem por dia 1200 blocos.

Se sua empresa trabalha 5 dias por semana (porque você é cuidadoso e reserva o sábado para manutenção) e que um mês tem em média 4,5 semanas (alguns meses têm 5 outros 4), estão podemos fazer a seguinte conta: 1200 blocos x 5 dias x 4,5 semanas, o que resulta em 25.200 blocos por mês.

Agora ficou fácil saber quanto estes custos afetam o valor de 1 bloco: some todos os custos fixos e variáveis e divida pela produção mensal.

Para chegar no custo final você deve fazer a seguinte conta:

CUSTO DE 1 BLOCO: CUSTO DO MATERIAL + Cfv

O cálculo é muito simples, talvez o mais difícil seja ter a disciplina para controlar todos os gastos.

Mais uma vez ficou muito claro o impacto que o seu equipamento, junto com o sistema de produção, tem sobre o seu custo.

E fica uma dica: não adianta adquirir um baita equipamento, como os da WM Máquinas, se você não estiver preparado para recebê-lo.

Invista em um serviço de consultoria para ajustar o seu processo como um todo. Ela pode indicar mudanças que vão fazer você ganhar velocidade de produção e receber o novo equipamento.

Espero que este artigo tenha ajudado. Siga em frente fazendo o seu melhor e controlando bem os seus custos. Até o próximo artigo.

 


Esse artigo é uma contribuição do Professor  Julio C. Filla para o blog da WM Máquinas. Instagram: @julio_filla | Linkedin | Whatsapp: (43) 99966-1966